29 de maio de 2011

MAIS DILIGENTES E INTERESSADOS EM CASA

Imagem da Internet

Em meu escritório há uma bela pintura de um campo de trigo. A pintura é um imenso conjunto de pinceladas de tinta, nenhuma das quais, vista isoladamente, aparenta ser muito interessante ou impressionante. Na verdade, se olharmos a tela bem de perto, tudo o que veremos será um aglomerado de riscos de cor amarela, dourada e marrom, aparentemente sem relação entre si e sem beleza. No entanto, à medida que nos afastamos da tela, todas as pinceladas isoladas se combinam e produzem uma magnífica paisagem de um campo de trigo. Muitas pinceladas comuns e individuais se unem para criar uma pintura cativante e bela.

Cada oração familiar, cada episódio de estudo das escrituras em família e cada noite familiar é uma pincelada na tela de nossa alma. Nenhum desses momentos isoladamente aparenta ser muito impressionante ou memorável. Mas assim como as pinceladas amarelas, douradas e marrons de tinta se complementam e produzem uma impressionante obra-prima, nossa constância em fazer coisas aparentemente pequenas pode levar a resultados espirituais significativos. “Portanto não vos canseis de fazer o bem, porque estais lançando o alicerce de uma grande obra. E de pequenas coisas provém aquilo que é grande” (D&C 64:33). A constância é um princípio-chave ao estabelecermos o alicerce de uma grande obra em nossa vida e ao nos tornarmos mais diligentes e interessados em nosso lar.

Ser constante no lar é importante ainda por outro motivo. Muitas das reprimendas mais severas do Salvador foram dirigidas aos hipócritas. Jesus advertiu Seus discípulos contra os escribas e fariseus: “Não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem” (Mateus 23:3). Essa forte advertência aconselha-nos seriamente a “expressar amor e a demonstrá-lo”, a “prestar testemunho e vivê-lo” e a “ser constantes”.

A hipocrisia em nossa vida é muito fácil de ser percebida e provoca a maior destruição em nosso próprio lar. E as crianças, em geral, são as mais alertas e sensíveis em reconhecer a hipocrisia.
As declarações de amor em público, quando não há gestos de amor praticados no lar, são hipocrisia e enfraquecem o alicerce de um grande trabalho. Prestar publicamente um testemunho, quando não há fidelidade e obediência em nosso lar é hipocrisia e enfraquece o alicerce de um grande trabalho. O mandamento “não dirás falso testemunho” (Êxodo 20:16) se aplica mais diretamente ao hipócrita que pode existir em cada um de nós. Precisamos ser e tornar-nos mais constantes. “Mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, no amor, no espírito, na fé, na pureza” (I Timóteo 4:12).

Ao buscarmos a ajuda do Senhor e Sua força, podemos gradualmente reduzir a disparidade entre o que dizemos e o que fazemos, entre o amor que expressamos e nossa constante demonstração dele, e entre prestar testemunho e vivê-lo com firmeza.                                                                                                                                                                                  ELDER DAVID A.BEDNAR – 
MAIS DILIGENTES E INTERESSADOS EM CASA 
CONFERÊNCIA GERAL OUTUBRO DE 2009

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget