30 de abril de 2011

QUEM É O SEU VIZINHO?



“Li, há alguns anos, uma história publicada pela Reuters, uma agência internacional de notícias, sobre um vôo direto de uma companhia aérea do Alaska, de Anchorage para Seattle, com 150 passageiros, que foi desviado para uma cidadezinha remota em uma missão de socorro, a fim de resgatar um menino gravemente ferido. A criança, Elton Williams III, de dois anos, havia cortado uma artéria do braço ao cair sobre um caco de vidro, quando brincava perto de casa, em Yakutat, 720 quilômetros ao sul de Anchorage. Os paramédicos do local solicitaram à companhia aérea que retirasse o menino. E o vôo foi desviado para Yakutat.
Os paramédicos informaram que o menino estava com uma forte hemorragia e que provavelmente não sobreviveria a um vôo até Seattle; por isso, o avião foi desviado para Juneau, a 320 quilômetros, a cidade mais próxima com um hospital. Depois, a viagem prosseguiu para Seattle, chegando com um atraso de duas horas, fazendo com que a maioria dos passageiros perdesse suas conexões. Mas ninguém reclamou. Em verdade, até fizeram uma coleta de dinheiro para o menino e a família.
Mais tarde, quando o avião estava prestes a aterrizar em Seattle, os passageiros deram um viva quando o piloto lhes comunicou ter recebido notícias pelo rádio de que Elton ia ficar bom. Certamente o amor ao próximo estava em evidência.
Certa vez perguntaram a um homem: “Quem é o seu vizinho do lado?”
Ele respondeu: “Não sei o nome dele, mas seus filhos correm pelo meu gramado e o cachorro dele me acorda a noite toda!”
Outro homem, de sentimentos diferentes, escreveu certa noite, silenciosamente no diário: “Pensei que a casa do outro lado da rua
estivesse vazia até ontem. Um sinal de luto, preso à porta, indicou-me que havia alguém morando ali”.
Certo poeta transcreveu em versos a tristeza das oportunidades para sempre perdidas:
Virando a esquina tenho um amigo,
Nesta grande cidade sem fim;
Os dias se passam, as semanas voam,
E antes que eu me aperceba, lá se foi um ano.
E eu nunca vejo o meu velho amigo,
pois a vida é uma corrida, veloz e terrível.
Meu amigo sabe que gosto dele,
Tanto como nos dias em que eu tocava
a campainha de sua casa
E ele tocava a da minha. Éramos jovens, então,
E agora somos homens ocupados e cansados,
— Cansados de fazer o jogo louco,
Cansados de tentar fazer um nome;
— Amanhã, digo eu, visitarei o Pedro,
Só para mostrar que ainda penso nele.
Mas o amanhã chega e o amanhã se vai,
E a distância entre nós aumenta cada vez mais.
É só virar a esquina! Mas parecem quilômetros de distância —
Telegrama, senhor! — “Pedro morreu hoje!”
Eis o que obtemos — e merecemos afinal —
Virando a esquina, um amigo morto.
Presidente Thomas S.Monson


28 de abril de 2011

Apóstolo Melvin Russell Ballard Jr. - O Ensinável

 “Ele é um homem com grande capacidade, mas mesmo assim é ensinável. É comum vermos pessoas brilhantes com falta de humildade, mas esse não é o caso de Russell Ballard. Se eu escolhesse uma palavra para o descrever seria ensinável. Quando ele era o Presidente da Missão Toronto, eu fiz um tour na missão. Ao chegar em casa minha esposa ficou preocupada por eu parecer tão cansado. ‘Você esteve com um Presidente de Missão que não aceitou suas instruções?’ Respondi: ‘Não, pelo contrário. Estive com um presidente de missão tão ansioso por aprender e receber instruções que acabei me esgotando mais do que é normal’.” (Comentário de Elder Boyd K. Packer)                                                                        

Apóstolo Melvin Russell Ballard Jr.

De sua Biografia:
“Ele tem grande compaixão pelas pessoas que sofrem ou estão infelizes”
A família lembra de uma ocasião em que eles dirigiram até um parque de diversões para passar o dia. No caminho encontraram uma família oriental que também estava indo para o parque, mas o carro tinha quebrado. Ao chegar ao parque, o Elder Ballard deixou a família e dirigiu de volta. Ele emprestou seu carro para que a família oriental pudesse chegar ao parque e enquanto isso ele levou o carro deles para a oficina. Quando o carro foi consertado, ele voltou para o parque e devolveu o veículo à família."                                                                                                                             

25 de abril de 2011

ESCRITURAS - RESPOSTAS PARA TODAS NOSSAS DÚVIDAS


NÃO SE PREOCUPEM DEMAIS COM ASSUNTOS DE POUCA IMPORTÂNCIA
Existe tanto a se aprender sobre as grandes verdades eternas que moldam nosso destino, que me parece um desperdício dedicarmos toda a nossa atenção a minúcias insignificantes. Freqüentemente ouço perguntas como esta: “Sei que não é essencial à minha salvação, mas gostaria realmente de saber quantos anjos conseguem dançar na cabeça de um alfinete e se faz alguma diferença se o alfinete é feito de latão ou de bronze.” Algumas pessoas ficam tão obcecadas com minúcias no grande quadro que representa o plano inteiro de salvação que perdem a noção do significado da vida, da luz e da glória da recompensa eterna. Existe o que podemos chamar de conhecimento praticamente inútil, cuja aquisição não faz um pingo de diferença no destino do reino ou da salvação de seus súditos. Paulo disse que as escrituras são capazes de tornar-nos “sábio[s] para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus” (II Timóteo 3:15). Elas nos conduzem à verdadeira Igreja e aos representantes legítimos que Deus designou para administrar Seu trabalho na Terra. É muito melhor obtermos nossas respostas a partir das escrituras do que de algo que alguém disse sobre elas. É verdade que freqüentemente precisamos de um intérprete inspirado para ajudar-nos a compreender o que os apóstolos e profetas escreveram para nós nas obras-padrão. Mas também é verdade que muitas explicações dadas por muitas pessoas, em relação ao significado de passagens das escrituras, não são exatamente verdadeiras nem edificantes.                                                                                                                          Estaremos em uma situação muito melhor se pudermos beber diretamente da fonte das escrituras, sem que as águas sejam poluídas por outros, cujos pontos de vista não sejam tão grandiosos como os dos autores proféticos que escreveram as passagens encontradas no cânone aceito de santas escrituras. Não estou rejeitando os bons comentários sobre as escrituras; sei de seu valor e sou grato por elas, e eu mesmo escrevi alguns livros assim. Estou simplesmente dizendo que as pessoas que tiverem a capacidade de fazê-lo estariam em situação bem melhor para escreverem seus próprios comentários. Há algo sagrado, solene e salvador em relação ao estudo das escrituras propriamente ditas. Devemos disciplinar-nos nesse sentido.                                                                                                                Elder Bruce R. McConkie -D.M.                     

LEMBRE-SE DISTO SEMPRE, FOI POR MIM E POR VOCÊ!

"É PRIMAVERA, MAS SOU CEGO!"


Certo homem que não fora abençoado com o dom da visão procurava conseguir seu sustento sentando-se todos os dias no mesmo lugar de costume, à beira de uma calçada movimentada de uma de nossas grandes cidades. Em uma das mãos, ele segurava um velho chapéu de feltro cheio de lápis. Na outra, uma caneca de metal. A súplica simples que fazia aos passantes era breve e contundente, dita com muita intenção, num tom de quase desespero. A mensagem escrita na plaqueta que carregava pendurada no pescoço por um barbante dizia: "Sou cego".                                   
A maioria das pessoas não parava para comprar seus lápis ou colocar uma moeda em sua caneca. Estavam muito ocupadas com seus próprios problemas. Aquela caneca nunca chegava a ficar cheia, nem mesmo pela metade. Então, num belo dia de primavera, um homem parou e, com uma caneta, escreveu mais algumas palavras naquela velha plaqueta. A mensagem não era mais: "Sou cego", mas, sim: "É primavera, mas sou cego". Em pouco tempo, a caneca transbordava de moedas. Talvez aquelas pessoas atarefadas tenham sido tocadas pela exclamação de Charles L. O'Donnel: "Nunca conseguirei ensinar meus olhos a não se surpreenderem com o azul do início da primavera". Para cada uma delas, porém, as moedas eram um mero substituto para o desejo de poderem realmente restaurar-lhe a visão.
Todos conhecemos pessoas que não têm visão. Também conhecemos muitos que enxergam mas andam em trevas ao meio-dia. Os que se enquadram neste último grupo talvez nunca venham a usar uma bengala de cego, tendo que tatear cuidadosamente o caminho ao som de seu conhecido "toc, toc, toc". Talvez nunca precisem da companhia de um fiel cão guia nem de carregar no pescoço uma plaqueta dizendo: "Sou cego", mas indubitavelmente o são. Alguns estão cegos de raiva, outros foram cegados pela indiferença, pela vingança, pelo ódio, pelo preconceito, pela ignorância, pela negligência a oportunidades preciosas. A respeito dessas pessoas, o Senhor declarou: "E ouviram de mau grado com seus ouvidos, e fecharam seus olhos; para que não vejam com os olhos, e ouçam com os ouvidos, e compreendam com o coração, e se convertam, e eu os cure".
Essas pessoas bem poderiam lamentar-se: "É primavera, o evangelho de Jesus Cristo foi restaurado, mas sou cego". Alguns, como o amigo de Filipe do Novo Testamento, clamam: "Como poderei encontrar meu caminho, se alguém não me ensinar?"                                                                                                                                                                                           Presidente Monson  
Conferência Geral abril 1999

VIDA - FOTÓGRAFO SUECO ERIK JOHANSSON

 Imagens extraordinárias do 
fotógrafo sueco              
Erik Johansson.






















FLOR DO DIA

23 de abril de 2011

CRISTO JÁ RESSUSCITOU!

Imagem da Internet

"Hino Sud"
Cristo já ressuscitou,Aleluia;
Sobre a morte triunfou...Aleluia...
Tudo consumado está... Aleluia...
Salvação aos homens dá... Aleluia...

Uma vez na cruz sofreu...Aleluia...
Só por nós Jesus morreu...Aleluia...
Mas agora vivo está...Aleluia...
Para sempre reinará...Aleluia...

A promessa se cumpriu,Aleluia
Cristo já nos redimiu;Aleluia
Pois a morte quis sofrer...Aleluia
E aos homens socorrer...Aleluia!.
Letra: Charles Wesley
Música:Lyra Davidica

PÁSCOA.....ELE VIVE!

IMAGEM  DA  INTERNET

Páscoa - Élder Jeffrey R. Holland - LEGENDADO

O QUE É PÁSCOA?

Páscoa 
Luiz Fernando Veríssimo

- Papai, o que é Páscoa?
- Ora, Páscoa é ... bem .. é uma festa religiosa!
- Igual Natal?
- É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na
Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição.
- Ressurreição?
- É, ressurreição. Marta, vem cá!
- Sim?
- Explica pra esse garoto o que é ressurreição pra eu poder ler o meu
jornal.
- Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que
aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele
ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu?
- Mais ou menos .. Mamãe, Jesus era um coelho?
- Que é isso menino? Não me fale uma bobagem dessas! Coelho! Jesus Cristo é
o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado! Jorge, esse menino
não pode crescer desse jeito, sem ir numa missa pelo menos aos domingos. Até
parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma
besteira dessas na escola? Deus me perdoe!
- Mamãe, mas o Papai do Céu não é Deus?
- É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Você vai estudar isso no
catecismo. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.
- O Espírito Santo também é Deus?
- É sim.
- E Minas Gerais?
- Sacrilégio!!!
- É por isso que a Ilha da Trindade fica perto do Espírito Santo?
- Não é o Estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o
Espírito Santo de Deus. É um negócio meio complicado, nem a mamãe entende
direito. Mas quando você for no catecismo a professora explica tudinho!
- Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
- Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Papai Noel, só que ao invés de
presente ele traz ovinhos.
- Coelho bota ovo?
- Chega! Deixa eu ir fazer o almoço que eu ganho mais!
- Papai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa?
- Era, era melhor, ou então urubu.
- Papai, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro, né? Que dia que ele morreu?
- Isso eu sei: na sexta-feira santa.
- Que dia e que mês?
- Sabe que eu nunca pensei nisso???? Eu só aprendi que ele morreu na
sexta-feira santa e ressuscitou três dias depois, no sábado de aleluia.
- Um dia depois.
- Não, três dias.
- Então morreu na quarta-feira.
- Não, morreu na sexta-feira santa ....... ou terá sido na quarta-feira de
cinzas? Ah, garoto, vê se não me confunde! Morreu na sexta mesmo e
ressuscitou no sábado, três dias depois! Como? Pergunte à sua professora de
catecismo!
- Papai, por que amarraram um monte de bonecos de pano lá na rua?
- É que hoje é sábado de aleluia, e o pessoal vai fazer a malhação do Judas.
Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.
- O Judas traiu Jesus no sábado?
- Claro que não! Se ele morreu na sexta!!!
- Então por que eles não malham o Judas no dia certo?
- É, boa pergunta. Filho, atende o telefone pro papai. Se for um tal de
Rogério diz que eu saí.
- Alô, quem fala?
- Rogério Coelho Pascoal. Seu pai está?
- Não, foi comprar ovo de Páscoa. Ligue mais tarde, tchau.
- Papai, qual era o sobrenome de Jesus?
- Cristo. Jesus Cristo.
- Só?
- Que eu saiba sim, por quê?
- Não sei não, mas tenho um palpite de que o nome dele era Jesus Cristo
Coelho. Só assim esse negócio de coelho da Páscoa faz sentido, não acha?
- Coitada!
- Coitada de quem?   - Da sua professora de catecismo!!!"

HAJA PAZ NA TERRA A COMEÇAR POR MIM.....

FELIZ PÁSCOA!

Ocorreu um erro neste gadget